Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

suacriatividademeassusta

20
Out15

...

Café com Paçoca

O mesmo vestido, o mesmo baton, calça justa, saltos tão altos que parece que a mina tá falando com você de
cima do Pico da Neblina. Cabelos sempre alisados, claro, porque ninguém é obrigado a ouvir que o cabelo é "ruim".
Porque ruim não é o preconceito nem a estereotipação da mulher como objeto de desejo. Ruim não é a porra do
produto fedorento e danoso que elas passam nas madeixas. Bom é o excesso de maquiagem que esconde o verdadeiro rosto, porque imagina se descoberem que ela não parece mulher de novela? Ou se ela fica com uma cara estranha na seifie? Quanto mais ariana parecer melhor, aqui ninguém descende de negro, ningém! De índio talvez, poruqe tem que haver uma explicação lógica para os cabelos lisos, porém pretos.
Umas mestiças por aí também vagam, com uns cabelos sararás. Umas branquelas que gostam contradizer a ordem, sempre tem "uma" né!
Andam meio despenteadas, de chinelo, umas roupas meio largadas, uns trapos de gente. Mas sobre elas não cabe gastar tempo dissertando, estão fora dos padrões interessantes. Não interessam a qualquer um.

 

Às pessoas não interessa o quanto você sabe sobre física quântica ou sobre as correntes de Humboldt. Niguém quer saber se você concorda com as críticas do Milton Santos ou se já leu toda a magnifica obra do Abi Saber.
Não as interessa saber sobre poesia, a vida anda tão disfeita que as fizeram perder a sensibilidade para arte.
As pessoas não entendem poesia porque poesia é parte da vida e se a vida anda tão superficial a poesia tranborda
e a parte que derrama e ninguém vê a deixa imcompleta e incompreenssível, portanto.
Ninguém quer saber sobre seus paradigmas. Ninguém pergunta o que você estuda para saber se seus conhecimentos podem talvez ajudar ou
ensinar algo.
- Maconheira!
- Feminista louca!
- Denfensora do diabo!
O que será que eu estudo ein? Medicina, economia ou engenharia ?

 

Quanto mais fujo dos arquétipos impostos, quanto mais distante me mantenho de tudo que me rodeia de maneira agressiva e ditatorial mais me convenço de que as pessoas não tem mais jeito. Já era cara, não tem volta.
Conseguimos construir um modelo de sociedade onde aceitamos tudo que o Estado maior, em nome de uma nação, que não existe, porque até isso é construido na marra, nos enfiam todos os dias guela a baixo, com caco de vidro e areia. Tudo que não gostariamos de ser, não deveríamos ser. Tudo que não somos de fato, na essência. Mas nos tornamos.
A propriedade privada, o capital, a mais valia, o mérito, a mercadoria que te faz mais "feliz",
o necessário para a uma vida cotidiana ideal. Enraizaram em nossos valores o preço do capiral.

 

Milhões de pessoas não tem o que comer ou beber, onde morar. Milhões de mulheres são abusadas, crianças não tem mais DIREITO à infância. Seja porque tem que trabalhar feito gente grande, seja porque aos cincoanos já tem agenda mais cheia que o presidente dos EUA. Minorias, que muitas vezes são maiorias, são incassavelmente massacradas, hostilizadas e silenciadas todos os dias.
COMO isso não é absurdo pra todo mundo? COMO??

 

Vendemos os nossos direitos, um a um e por isso a única coisa que nos restou foi viver calados e acomodados à realidade. Que não anda boa pra todo mundo não, mas fazer o que ? Estamos expostos à mesma sorte e à mesma realidade, temos todos as mesmas responsabilidades e obrigações perante a sociedade, não é mesmo? Mérito é pra quem tem meu bem.

 

E se você ainda não se adequa ao status quo temos aqui um rivotril, que vai te fazer colocar a cabeça no travesseiro e dormir sem pensar em nada, temos uma cirurgia bariátrica para que você se sinta mais bonitx, prontx para conquistar o mundo e vender mais amanhã no trabalho. Temos também, um vagão de trem novinho, com ar condicionado e tudo mais, pra te levar pro trabalho cheiroso e te levar de volta pra casa em segurança.
Tudo isso vai mudar sua realidade. Viu? Não falaei. Voê se sente melhor agora?

 

É como os donatários fizeram com os escravos, esteritiparam-os de negros fedidos e inferiores,
prenderam, domesticaram, exterminaram qualquer manifestação até que foram (temporariamente) silenciados
e convencidos de que eram mesmo infeiores e de que a única coisa útil que podiam fazer era trabalhar incessantemente.
Quanto custa a herança? Quanto nos custa, em reais, uma sesmaria ?


O que esperar de uma espécie que escraviza suas crianças, e rebaixa natureza à mera fonte de recursos incabáveis?

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub